Nem seus pensamentos são privados - Cápsula #06

Como você cuida da sua privacidade? Imagina não ter controle sobre seus dados nem em pensamento...

A Dica: Para comprar e não se arrepender

Dica da Nióbio

Como você avalia se uma roupa ficou boa? Quando era mais novo, minha mãe me levava nas lojas e falava o que estava ou não legal. Envelheci um pouco e quem assumiu esse posto acabou sendo minha namorada. Era prático não ter que tomar a decisão, mas muito dependente. Fui buscar o que deveria avaliar e deu muito trabalho, por isso vamos facilitar isso para você. A dica de hoje é um guia para você avaliar o caimento das suas calças. Avaliando 5 aspectos: cintura, comprimento, barra, pernas e quadril.

Ver o guia


1. Você tem o Whatsapp do Zuckerberg?

Notícia da Semana

Não? Você talvez seja um dos únicos! No dia 3 de abril, veio a público o vazamento dos dados de 533 milhões de usuários do Facebook. Pessoas de 106 diferentes países, dentre elas, o CEO e fundador da empresa, Mark Zuckerberg. Os dados continham número de telefone, ID de usuário do Facebook, nome completo, localização, aniversário, biografia e, em alguns casos, endereço de e-mail.

A empresa se pronunciou sobre o vazamento em seu blog oficial no dia 6 de abril. No texto admitem o vazamento e deixam claro que os dados não foram obtidos através do hackeamento dos seus sistemas. Mas sim por Scraping (técnica de coleta de dados) da ferramenta de importação de contatos, que ajuda o usuário a encontrar seus amigos pesquisando sua lista de contatos.

Como saber se meus dados vazaram?

Você pode buscar seus dados pelo seu e-mail ou telefone através do site Have I Been Pwned. A ferramenta é segura e também procura pelos seus dados em outros vazamentos. Caso busque pelo seu telefone, lembre-se de colocar o código do país (caso seu número seja brasileiro coloque "55" antes do seu DDD).

Meus dados vazaram, e agora?

Vazamentos nunca são bons, porém neste não precisa entrar em pânico. Felizmente não foram expostas senhas, cartões de créditos e outros dados sensíveis. Como a falha expôs e-mail e telefone, o mais provável é que sejam usados para ligações e mensagens de spam.

Caso seus dados estejam na lista, tome cuidado com tentativas mal intencionadas de phishing. Que consiste na tentativa de obter seus dados sensíveis (cartão, senha, usuário, etc) fingindo ser uma entidade confiável (como um banco) por um canal digital.


2. Seria a telepatia um futuro próximo?

Tecnologia da Semana

Você conhece a Neuralink? Mais uma das empresas de Elon Musk, seu foco é o desenvolvimento de um chip que crie um canal direto de comunicação do nosso cérebro com computadores. Em um primeiro momento, a tecnologia pode revolucionar a medicina moderna auxiliando pacientes a restaurarem funções motoras paralisadas e controlarem equipamentos com seus impulsos cerebrais.

Essa semana, a empresa divulgou seus avanços e surpreendeu ao mostrar um macaco jogando Pong usando apenas sua mente. A comunicação foi feita através de um dispositivo implantado imperceptivelmente em seu cérebro.

Eles descrevem melhor a tecnologia e desenvolvimento do experimento em seu próprio blog e como treinaram o macaco neste vídeo (ambos estão em inglês).

"Engenharia sólida, neurociência frágil!"

É o que afirmam os críticos do empresário, que é conhecido pelas suas grandes promessas. Tendo ou não razão, a tecnologia ainda tem um caminho longo para trilhar. Hoje ela se baseia em reconhecimento de padrões neurológicos. Para o futuro próspero propagandeado é necessário ter compreensão total do funcionamento. Como assim?

Eu te explico! Imagine uma criança ainda não alfabetizada que desde cedo tem contato com computadores. Por repetição, ela aprendeu a abrir e jogar seu jogo favorito reconhecendo o ícone escrito "Minecraft". Ela não compreende o que está escrito, mas sabe o que é, e sabe interagir com ele. O mesmo acontece no caso da Neuralink, ela consegue reconhecer padrões dos impulsos nervosos, mas não compreende cada letra e os fonemas que a união delas formam. Ele é capaz de usar o computador, mas não sabe ler o que está nele. Ou seja, é capaz de saber que uma configuração de impulsos significa "seguir em frente", mas não é capaz de compreender o destino.

Já pensou em como a sociedade pode se transformar se essa tecnologia vingar? Controlar equipamentos com o poder da mente. Sinergia humano-computador superando nossas limitações físicas. Telepatia, comunicação instantânea. Download de conhecimento. E muito mais. Você gosta desse futuro? Como acha que nos transformaremos?

Essa notícia foi uma sugestão do Augusto de Paula


3. Continuando nosso papo sobre pagamentos e privacidade...

App da Semana

Na Cápsula da semana passada falamos sobre o Whatsapp começar a aceitar pagamentos no Brasil e compartilhamos um guia sobre o Bitcoin. Essa semana, o Signal, concorrente do app que preza pela privacidade dos usuários, anunciou que começará a aceitar pagamentos também, utilizando criptomoeda.

A funcionalidade já está em beta no Reino Unido, sem data de previsão para chegar no Brasil. O Signal Payments não precisa de conta bancária e usa a criptomoeda para dispositivos móveis MobileCoin (MOB). Com o anúncio, a moeda valorizou bastante. Saiu de $7 dólares para $53.

Não conhece o Signal?

O aplicativo ganhou muito destaque em janeiro deste ano, após a polêmica da atualização nos termos de privacidade do WhatsApp. Ele foi o maior beneficiário com o acontecimento. Ganhou em uma semana 17 milhões de novos usuários. As mudanças anunciadas pelo WhatsApp exigiam que os usuários compartilhem seus dados com o Facebook e o Instagram, causando indignação dos defensores dos direitos à privacidade.

A Signal Foundation é a fundação responsável pelo aplicativo que tem como premissa a segurança e privacidade dos dados do usuário. Nas palavras do cofundador, Brian Acton:

"Milhões de pessoas valorizam a privacidade o suficiente para sustentá-la e estamos tentando demonstrar que há uma alternativa aos modelos de negócios baseados em anúncios que exploram a privacidade do usuário"

Acton também foi cofundador do WhatsApp. Depois da venda ao Facebook saiu da empresa e destinou 50 milhões de dólares para o desenvolvimento do Signal.

Tá tudo conectado...

Após o vazamento de dados do Facebook, um segurança de dados descobriu que o Mark Zuckerberg também se preocupa com a sua privacidade e por isso está no Signal, rs:


Em cápsulas passadas indicamos o texto "Como convencer pessoas inflexíveis“ e o Guia Bitcoin. Ambos foram sugestões do Paulo Emediato. Ele também tem uma newsletter semanal, chama Marmitex. Confere lá!

Tem algum tema que deveria aparecer aqui? Manda pra gente, é só responder esse email!